Bahia vence CSA e encerra jejum no Brasileirão

0

Bahia vence CSA e encerra jejum no Brasileirão

750_ec-bahia-brasileirao-esportes_2019121202448654
Tricolor superou o CSA vencendo por 2 a 1, no estádio Rei Pelé, em Maceió

Organizado e com mais vontade e ousadia, o Bahia voltou a ser aquele time aguerrido, que não desiste até escutar o apito final, como visto na maior parte do Campeonato Brasileiro. E isso foi suficiente para o Tricolor vencer o CSA por 2 a 1, no estádio Rei Pelé, em Maceió, e dar fim ao jejum de nove jogos sem ganhar na Série A.

O que faltou em qualidade, sobrou em luta e entrega durante os 90 minutos. O Esquadrão foi soberano durante todo o primeiro tempo e viu Gilberto abrir o placar com um belo gol da entrada da área. Mas nos 45 minutos finais, a equipe se perdeu, tomou o gol de empate e ainda viu Ronaldo ser expulso. Mas quando o placar parecia definido, a estrela tricolor brilhou e Arthur Caíke deu o triunfo ao Bahia.

O Esquadrão volta a campo quinta-feira, às 19h15, quando receberá o Vasco na Arena Fonte Nova, com o objetivo de voltar a figurar no G-10.

Chuta-chuta

Mais aguerrido do que nas, pelo menos, cinco últimas partidas, o Bahia entrou em campo com um pouco mais de ousadia e determinação. O nível do futebol ainda está longe daquele visto no primeiro turno, mas foi o suficiente para apertar e forçar erros na defesa do CSA, ontem, no Rei Pelé.

Com Ronaldo no meio de campo, formando a trinca de volantes com Gregore e Flávio, o Tricolor começou o jogo apostando nas jogadas em velocidade, principalmente pela direita, na dobradinha com João Pedro, titular no lugar de Nino Paraíba, e Artur.

Mesmo com mais posse de bola, o Esquadrão não conseguia infiltrar na defesa alagoana. Com isso, o time de Roger Machado passou a arriscar chutes de fora da área. Nos primeiros 15 minutos, o Tricolor tentou, de longe, com Gilberto, Artur, João Pedro.

Mesmo acuado, o CSA conseguiu a primeira boa oportunidade do duelo aos 5 minutos. Em rápido contra-ataque, Ricardo Bueno chutou cruzado e Apodi, por pouco, não conseguiu chegar para empurrar para o fundo da rede.

Aos 10 minutos, Gilberto soltou uma bomba de fora da área. Bem posicionado, Jordi defendeu. Mal sabia o goleiro azulino que, 21 minutos depois, o destino lhe reservara uma ingrata surpresa.

E a noite estava realmente preparando algo especial para o camisa 9 do Bahia. Aos 21, o atacante até balançou a rede. O auxiliar não marcou nada e deixou a decisão para o VAR, que anulou o gol, indicando que a bola havia saído pela linha de fundo.

Sem conseguir tomar as rédeas da partida, o CSA passou a tentar ligações diretas e apostar na velocidade de Apodi, mas não teve êxito.

Com o controle do embate, o Bahia quase abriu o placar com Gregore. Aos 26 minutos, ele quase fez o seu primeiro gol com a camisa azul, vermelha e branca. Da entrada da área, ele encheu o pé e forçou Jordi a fazer uma grande defesa.

Melhor na partida e dono das melhores chances, o Tricolor foi premiado pela insistência. E o gol saiu da forma que vinha sendo ensaiado: de fora da área. Aos 31 minutos, Flávio deu bom passe para Gilberto, que cortou o zagueiro Alan Costa e chutou rasteiro, da entrada da área, no cantinho, para fazer 1 a 0.

Após o gol, o Esquadrão tentou aproveitar o embalo e o abalo na equipe alagoana para ampliar o placar. Artur e Élber, em jogadas de velocidade, tentaram. Lucas Fonseca, de cabeça, deu trabalho para Jordi. Mas o primeiro tempo acabou mesmo no 1 a 0.

Susto e festa

Com o placar a favor e sem precisar se preocupar com a velocidade de Apodi – saiu contundido –, o Bahia voltou para a segunda etapa querendo ampliar o resultado. Logo aos 2 minutos, João Pedro foi à linha de fundo e cruzou para trás, rasteiro. Ronaldo, de carrinho, bateu de primeira e Jordi se esticou todo para salvar o CSA e evitar o segundo gol.

O jogo parecia estar sob controle, mas aos 9 minutos o Azulino conseguiu e empatar da única forma possível: de bola parada. Rafinha cobrou escanteio, a defesa do Bahia não subiu e, sozinho, Nilton apareceu na pequena área para deixar tudo igual. Lei do ex entrou em ação, inclusive foi o primeiro gol de Nilton com a camisa do CSA.

O Bahia respondeu com Fávio. Aos 13 minutos, o camisa 5 soltou uma bomba de fora da área e o bom goleiro Jordi fez mais uma grande defesa.

Quando o Tricolor começava a tomar as rédeas da partida, Ronaldo fez falta dura em Jean Cléber e foi expulso. O CSA foi pra cima, em busca da vitória. Apertou de todas as formas possíveis a defesa tricolor.

Mas quem voltou a balançar as redes foi o Bahia. Aos 40 minutos, pouco depois de Artur acertar o travessão em cobrança de falta, Arthur Caíke deu os três pontos para o Esquadrão. O atacante barbudo recebeu passe de Artur Victor e, livre de marcação, chutou com categoria, sem chance para o goleiro Jordi.

Bahia voltou a comemorar os três pontos após nove jogos na Série A e deu fim ao indigesto jejum na competição.

A TARDE Por Rafael Tiago Nunes|Foto: Aílton Cruz / Gazeta Alagoas