Brasil: Jovem de 19 vence câncer e faz vídeo com 316 fotos pra comemorar

0

Brasil: Jovem de 19 vence câncer e faz vídeo com 316 fotos pra comemorar

artur-cancer-video-close-696x487
Artur Pacheco no tratamento e agora – Fotos: reprodução / Instagram

O jovem Artur Pacheco, de 19 anos, fez um vídeo incrível para comemorar a melhor notícia que poderia receber: o linfoma, tipo grave de câncer no sangue, descoberto no ano passado, entrou em remissão.

O rapaz de Franca, no interior de São Paulo, pegou 1 ano de fotos que tirava todo dia e fez uma espécie de time-lapse mostrando rapidamente como ficou durante e depois do tratamento, pra motivar as pessoas.

“São mais de 365 fotos. Como eu tinha um cabelo grande e gostava do cabelo, eu fiz o vídeo pra motivar as pessoas, mostrando que você vai perder o cabelo durante o tratamento, mas depois ele vai crescer e você vai ficar bem”, contou Artur Pacheco em entrevista ao SóNotíciaBoa.

O vídeo viralizou nas redes sociais e Artur disse que conseguiu o que queria: levar uma mensagem de esperança pra quem passa pelo problema. Hoje ele tem mais de 150 mil seguidores no Instagram.

“Até hoje eu compartilho, mesmo fazendo 7 meses que eu terminei o tratamento. Hoje já estou em remissão, faço acompanhamento a cada 3 meses e sempre tento compartilhar esse tipo de assunto pra tentar mudar a cabeça das pessoas, mostrando que tem cura, que é um tratamento agressivo, mas que vale a pena lutar pela vida, ser forte, porque nada na vida da gente vem pronto, a gente tem que batalhar”, afirmou.

A doença

Artur soube da doença quando cursava Publicidade e Propaganda. Ele chegou a trancar a faculdade na época para fazer um intercâmbio com a namorada. Estava cheio de planos. Aí veio o diagnóstico.

“Comprei a passagem e 12 dias depois descobri o câncer. Isso foi em 24 de outubro de 2019. Fiquei 2 meses indo em médicos, fazendo exames. Eu não tinha sintomas, dor, nada. Todos os exames davam normal, porém eu tinha quatro nódulos no pescoço de tamanho considerável e isso preocupava os médicos”, disse.

Ele contou que não percebeu os nódulos por causa dos cabelos compridos.

“Eu tinha cabelo grande então não sabia a data que o caroço se desenvolveu no pescoço. O cabelo tampava. Quando senti, os médicos disseram que já estava ali há um bom tempo. Fiz duas biopsias e deu câncer”, contou.

Artur fez parte do tratamento em Ribeirão Preto e parte em São Paulo, capital.

“Fiz quimioterapia em Ribeirão. Foram seis ciclos. Ficava 8 horas no hospital e outra parte, durante 3 dias seguidos, das 7 às 19h”.

Ele lembra que nem conseguia andar, tinha que ser carregado de tão fraco que ficou.

Apoio

Além da medicação forte, Artur atribui a vitória à ajuda que teve de amigos, familiares e da namorada.

“Foi difícil olhar no espelho e eu estava careca. Ver que todo mundo estava realizando sonhos e eu estava no hospital. Mas meus irmãos e minha namorada ficavam comigo no hospital, sempre me ajudando. Foi uma fase muito difícil, mas de muito aprendizado”.

O principal, segundo ele, foi valorizar as coisas simples da vida.

“Na quimioterapia a gente passa muito mal. É muito remédio forte. Eu emagreci muito eu passava dias sem comer. Tudo que eu comia eu vomitava. Então eu comecei a dar valor nessas coisas. Porque conseguir almoçar era uma vitória. Isso me trouxe um amadurecimento, um novo olhar pra vida.

Motivar

Artur decidiu compartilhar a história dele nas redes sociais para inspirar e motivar as pessoas.

“Eu vi que não era tudo o que a sociedade prega, ‘que câncer pega, passa, que você já vai morrer, pra que fazer o tratamento?’. Quando eu vi isso, eu comecei a compartilhar os momentos que eu estava mal, que eu estava bem, no médico.

As pessoas começaram a me acompanhar, mandar boas energias e compartilhar pra que outros não desistissem”.

“Hoje eu tenho uma cabeça, um olhar diferente da vida. Dar valor nas coisas, nas pessoas que a gente tem porque nada é pra sempre. Eu vi minha vida passando assim num piscar de olhos, ela mudando da noite pro dia. Aceitar tudo isso foi difícil, mas graças a Deus eu venci como muitas pessoas vencem. E eu quero dar esta força pras pessoas que passam por isso, que descobrem, por isso eu sempre vou compartilhar esse assunto”, concluiu

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa