Com 2 gols anulados pelo VAR, Brasil empata com a Venezuela e sofre vaias

0

Com 2 gols anulados pelo VAR, Brasil empata com a Venezuela e sofre vaias

750_gabriel-jesus_2019618235923583
Gabriel Jesus teve gol anulado por impedimento de Firmino |Foto: Uendel Galter ( AFP)

A retranca da Venezuela e dois gols anulados com o auxílio do árbitro de vídeo impediram a torcida baiana de comemorar uma vitória do Brasil na noite desta terça-feira, 18. Na Arena Fonte Nova, em Salvador, a equipe do técnico Tite não conseguiu superar a defesa adversária, teve lances invalidados por impedimento e saiu de campo com o decepcionante resultado de 0 a 0 pela segunda rodada do Grupo A da Copa América.

O 25º encontro da história entre Brasil e Venezuela foi o confronto entre um favorito, dono da casa e com imensas dificuldades para criar, e um azarão, com tática organizada e muito consciente da proposta de se defender. Os venezuelanos tiveram uma proposta clara de jogo de empatar em 0 a 0. Missão cumprida com êxito e sem precisar dar pancadas nos adversários.

O empate adiou a oportunidade do Brasil de garantir a classificação antecipada às quartas de final. Será preciso agora superar o Peru, no sábado, na Arena Corinthians, em São Paulo. A seleção soma agora quatro pontos e segue na liderança. Os peruanos têm a mesma pontuação, mas aparecem na segunda posição por terem menor saldo de gols.

O jogo

Com bastante apoio da torcida, o Brasil foi para cima desde o início e encontrou o obstáculo previsto: a forte marcação da Venezuela. Uma linha de quatro defensores e outra de cinco meio-campistas formavam uma barreira difícil. O quarteto ofensivo formado por Firmino, Coutinho, David Neres e Richarlison invertia posições e se movimentava bastante para abrir espaços.

Com essa tática, assim como as investidas pela direita com Daniel Alves, o Brasil conseguiu chegar duas vezes com perigo antes dos 20 minutos, com finalizações de Neres e Richarlison. Faltou ter mais capricho para abrir o placar. A Venezuela ainda assustou em investidas pelo alto com Rondón e depois disso, conseguiu deixar a partida mais travada, principalmente pela tendência brasileira de jogar mais pelo meio e menos pelas pontas.

O técnico Tite se incomodou com a dificuldade e, no fim do primeiro tempo, resolveu inverter os pontas. Neres foi para a direita no lugar de Richarlison e por ali o Brasil conseguiu a chegar um gol com Firmino, em lance anulado por falta no defensor. A impaciência do treinador com a dificuldade em criar fez o Brasil ter uma mudança ainda no intervalo, com Gabriel Jesus no lugar de Richarlison.

A alteração não surtiu o efeito esperado. O Brasil insistia tanto pelo meio que os jogadores ocupavam o mesmo espaço e chegavam a se atrapalhar na mesma jogada por trombarem com algum companheiro. Em vez de procurar abrir o jogo, buscar as pontas, a equipe continuava concentrada pelo meio e envolvida na marcação. Para piorar a angústia, Gabriel Jesus teve um gol anulado com a ajuda do árbitro de vídeo, por impedimento de Firmino no lance.

Impaciente, a torcida começou a gritar por Cebolinha e logo foi atendida. Tite chamou o atacante do Grêmio e fez mais uma das muitas tentativas para abrir o time. O jogador criou a jogada do segundo gol anulado por impedimento, em decisão que revoltou a torcida. Nos minutos finais, o Brasil mostrou descontrole e irritação por não conseguir marcar. Pouco adiantou. Ficará a lição da necessidade de evoluir o ataque.

Estadão Conteúdo Por Ciro Campos