Governo Bolsonaro pagou R$ 268 mil a apresentadores bolsonaristas, mostra levantamento

0

Governo Bolsonaro pagou R$ 268 mil a apresentadores bolsonaristas, mostra levantamento

Entre os beneficiados pelos repasses estão apresentadores como Luciana Gimenez, Sikêra Júnior e outros|Foto: Reprodução

O governo de Jair Bolsonaro pagou o motante de R$ 268 mil a apresentadores de TV bolsonaristas ou de programas policiais, revela levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo junto às planilhas da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom). Os dados estão em posse dos senadores que compõe a CPI da Covid e foram entregues pelo próprio governo federal.

O dinheiro público foi usado em campanhas para divulgação da reforma da Previdência, de 2019, tratamento precoce contra a Covid, combate ao aedes aegypti, violência contra a mulher e cédula de R$ 200, entre outras iniciativas. De 34 repasses, 16 foram para campanhas sobre regras da aposentadoria. As campanhas de conscientização e prevenção contra a Covid-19 não foram contempladas.

Entre os beneficiados pelos repasses estão apresentadores como Luciana Gimenez, Sikêra Júnior, Luís Ernesto Lacombe, além de jornalistas à frente de programas como Cidade Alerta e Balanço Geral, na Record TV.

Sob a justificativa de pagamento de propagandas do governo, os desembolsos foram feitos pela Secom por meio de subcontratação das empresas PPR Profissionais de Publicidade Reunidos, Calia/Y2 Propaganda e Marketing e Artplan Comunicação. Todas elas têm contratos com o Executivo federal.

Em nota, a Calia afirmou que apenas fez repasses para pagamentos de campanhas, enquanto a Artplan disse que não pode comentar as parcerias em razão de cláusulas contratuais. Procurada, a PPR não se manifestou.

A lista de apresentadores é liderada por Sikêra Júnior. Conforme a Folha revelou dias atrás, ele recebeu R$ 120 mil do governo federal. Em seguida, vem a apresentadora Luciana Gimenez, da
RedeTV!.

Gimenez recebeu R$ 51 mil da gestão Bolsonaro por meio da empresa Magic Lu Promoções, Eventos e Comercio de Produtos de Uso Pessoal e Doméstico. Ao todo, foram nove transferências, em 2019 e 2020.
Dos repasses, seis trataram de pagamentos de cachê para campanha da reforma da Previdência. Antes de receber pela propaganda, Gimenez chegou a sugerir ao presidente, durante um café da manhã no Palácio do Planalto, em abril de 2019, para explicar mais sobre o tema à população.

A TARDE